08/05/2015

Protecção solar - Tudo o que precisa de saber para se proteger correctamente


A necessidade de criar algo que proteja a nossa pele, dos efeitos nocivos da radiação solar, foi alvo de sucessivas tentativas ao longo dos tempos. No entanto, a primeira fórmula efectiva apenas é criada em 1944, durante a Segunda Guerra Mundial, com base em substâncias derivadas do petróleo. O modo de funcionamento destas substâncias passava por interagir com a radiação UV absorvendo-a, à imagem do que fazem, hoje em dia, os protectores solares com filtro químico.

Como é que funcionam os protectores solares?
Basicamente existem dois tipos de protectores solares: com base em filtros minerais/físicos ou filtros químicos.

Protectores solares minerais: os protectores solares com base em filtros minerais/físicos formam uma camada protectora sobre a pele que bloqueia e reflecte os raios solares nocivos. Estes protectores solares são formulados com filtros físicos, como o dióxido de titânio, como ingredientes activos. O dióxido de titânio é um mineral que ocorre naturalmente na natureza e está entre ingredientes aprovados, para protecção solar. Possui cor branca e quanto maior é o tamanho das suas partículas mais branca é a película que deixa na pele.

Protectores solares químicos: os protectores solares com base em filtros químicos funcionam absorvendo os raios UV antes que estes tenham oportunidade de penetrar e danificarem a pele. (Este tipo de protectores solares são mais controversos pelo facto de serem facilmente absorvidos pela pele e podem causar reacções alérgicas, irritações e outras preocupações ainda mais sérias.)

Na Rita C encontrará apenas protectores solares minerais/físicos onde nunca são usados ingredientes sob a forma de nano partículas. Associado aos filtros físicos encontrará, na fórmula dos nossos protectores solares, ingredientes naturais de acção hidratante e antioxidante, que hidratam e neutralizam os radicais livres, de forma eficaz, de modo a proteger as células, impedindo a deterioração causada pela radiação solar.

Quando é que eu preciso de protecção solar?
A verdadeira resposta é: sempre que estiver no exterior. É importante lembrar que a protecção solar não é apenas para os dias de praia. Os danos provocados pelo sol podem acontecer sempre que estamos em contacto com raios UV nocivos, o que pode acontecer quando estamos a passear o cão, a conduzir, em períodos do dia em que o sol está mais fraco (início e fim do dia) ou até mesmo em dias mais nublados. É importante lembrar que, mesmo quando estamos completamente vestidos, as nossas mãos e cara estão expostas, pelo que usar um pouco de protector solar é uma boa ideia.

A altura do dia em que os raios solares sãos mais fortes e em que é mais nocivo estar exposto ao sol, sem protecção solar adequada, é entre as 10 horas da manhã e as 3 horas da tarde, altura em que o sol está no seu pico. Nesta altura do dia é mais seguro estar dentro de casa, abrigado do sol, mas caso seja indispensável sair para o exterior, é conveniente usar roupa com protecção UV ou aplicar um protector solar com um índice de SPF elevado e reaplicar com alguma frequência.

O que significa SPF?
SPF – Sun Protection Factor (Factor de Protecção Solar) é um sistema de classificação para protecção solar que determina a relação de tempo que podemos ficar expostos ao sol sem nos queimarmos, se estivermos a usar protecção solar, por comparação com o tempo que podemos ficar ao sol sem nos queimarmos, se NÃO estivermos a usar protecção solar.

A título de exemplo, digamos que a pele, normalmente, começa a ficar vermelha após um período de 10 minutos de exposição ao sol sem qualquer tipo de protecção. Se estiver a usar um produto com classificação SPF 2 a pele só começará a ficar vermelha após duas vezes esse período – 20 minutos. Se estiver a usar um produto com classificação SPF 30, poderá ficar exposta por 300 minutos, 5 horas (30 x 10 minutos), até a pele começar a ficar vermelha. Porém, é importante lembrarmo-nos que estes números não são absolutos. Tudo depende da rapidez com que a SUA PELE SE QUEIMA. Se a sua pele, quando desprotegida, se queima em 5 minutos, um produto com SPF 30 pode permitir que esteja exposta por um período de cerca de 2,5 horas sem se queimar (30 x 5 minutos = 150 minutos).

A nível de eficácia é importante perceber as diferentes percentagens de actuação de cada factor. Uma protecção solar SPF 15 bloqueia cerca de 93% dos raios UVB, enquanto que uma protecção SPF 30 bloqueia cerca de 97% e uma protecção SPF 50 bloqueia 98%.

Há no entanto uma questão importante que devemos ter presente: o SPF mede apenas o nível de protecção relativamente aos raios UVB, os raios ultravioleta que podem causar queimaduras solares, não mede o nível de protecção relativamente aos raios UVA, mais nocivos, que podem penetrar mais profundamente na pele, causando danos a nível celular. Quando estiver a escolher um protector solar procure um que forneça um espectro de protecção alargado, protecção relativamente aos raios UVA e UVB.



O que são raios UV?
Os raios de luminosos, provenientes do sol, têm diferentes comprimentos de onda. Alguns desses diferentes comprimentos resultam nas cores que vemos.

Os raiosUV (Ultravioleta) têm comprimentos de onda mais curtos que o espectro luminoso visível, que são aqueles que os nossos olhos percepcionam como cor violeta.

Existem 3 tipos de raios UV:

·       Os raios UVC são os mais curtos. São tão curtos que normalmente não atravessam a camada de ozono da Terra para chegar à nossa pele. Assim, os raios UVC não são uma preocupação quando se fala de protecção solar;
·       Os raios UVB têm comprimentos de onda ligeiramente maiores e atingem a nossa pele, mas não muito profundamente. Os raios UVB bronzeiam a pele e podem provocar queimaduras superficiais, podendo fazer a pele endurecer e envelhecer precocemente.
·       Os raios UVA são os que têm o comprimento de onda mais longo. Estes raios não só atingem a nossa pele como podem penetrar mais profundamente até à derme, a segunda camada da pele. Os raios UVA podem provocar bastantes danos a nível celular, causando alterações celulares que podem levar ao aparecimento de cancro de pele. São a causa primária do foto envelhecimento, aparecimento de rugas e descoloração da pele.

“Critical wavelengh” é um sistema de classificação internacional para a protecção UVA, definido como o ponto em que um protector solar permite que 10% dos raios UVA penetrem na pele. O FDA determinou que os protectores solares com um “critical wavelengh” superior a 370 nanómetros proporciona uma protecção excelente.

O que significa este símbolo?






Em 1976 a “European Cosmetic, Toiletry and Perfumery Association” viu necessidade de desenvolver critérios industriais para testes e rotulagem de produtos de protecção solar, tendo como objectivos simplificar o sistema de rotulagem, melhorar os métodos de teste e fornecer informação mais clara ao consumidor.

Apesar da classificação SPF ser o principal indicador da protecção relativamente aos raios UVB, a Comissão Europeia determinou que a protecção dos raios UVA (causadores de rugas, hiperpigmentação e outros sinais de envelhecimento precoce) também deve ser considerada, quando se está a avaliar a capacidade de um protector solar proteger adequadamente a pele.

De forma a assegurar eficácia e segurança, a Comissão definiu que o rácio de protecção UVA num protector solar deve ser, pelo menos, 1/3 do factor de protecção UVB. Os protectores solares que apresentam este símbolo cumprem ou excedem estes critérios.


Na Rita C orgulhamo-nos de os nossos protectores solares apresentarem este símbolo. Os protectores solares SPF15 encontram-se dentro dos parâmetros de PROTECÇÃO MÉDIA, os protectores SPF30 encontram-se dentro dos parâmetros de PROTECÇÃO ELEVADA/ALTA e os protectores SPF50 e SPF50+ encontram-se dentro dos parâmetros de PROTECÇÃO MUITO ELEVADA/MUITO ALTA, relativamente aos raios UVB e UVA.

Sem comentários: